A historia dos cães do telhado e do policia que tinha vertigens

OLYMPUS DIGITAL CAMERA
Lisboa, Portugal                                                                                              Carla Baptista’s photo

O Policia era conhecido por ser muito resmungão. Sempre que lhe calhava em sorte ir resolver um problema num prédio, fazia uma cara de poucos amigos, refilava “com esta mania das pessoas viverem em andares”, mas la ia ele. Na verdade o nosso amigo Policia, era muito bom no que fazia, e tinha sempre uma palavra amável para quem precisasse da sua ajuda, mas não gostava de prédios!

Quem o conhecia bem, sabia que podia contar sempre com um sorriso sempre que o visitavam na sua casa.

Vivia numa linda casa, de um só piso, com um jardim que era tratado com muito carinho. “Nada de arvores, que essas só trazem problemas” – dizia o nosso amigo.

Um dia, houve quem, na vizinhança se queixasse de cães a correr em cima de um telhado. E a quem calhou a sorte de ir esclarecer este assunto? Ao Policia, claro!

Os cães ao verem o medo do Policia ficaram todos contentes: quem os devia por de castigo estava tão assustado que nem um passo dava, quanto mais correr atras deles para “os por na linha”! Porém, passados uns minutos viram o quanto o Policia estava infeliz e pensaram que brincar com os outros é uma coisa divertida, mas brincar à custa da tristeza dos outros só nos faz ficar mais tristes e resolveram ajudar o nosso bom amigo.

“É verdade que não consegues por um pé em cima do telhado?”-perguntou o Malhado.

“Sim” -respondeu o Policia.

“Nem a ponta do dedo grande do pé?”-quis certificar-se o Laranjinha

“Pois é”- disse o Policia numa voz triste.

“Que pena! Não sabes como e bom ver as coisas ca de cima! Se olharmos em frente vemos até ao fim do mundo! Ou pelo menos assim nos parece, porque vemos até ao ponto em que a terra toca o céu!”

“Ora! – exclamou o policia – a terra nunca toca no céu! Vocês estão a inventar coisas!”

“Toca, toca, além ao fundo, vem ver!”

Muito a medo, sem acreditar muito no que aqueles cãezinhos travessos diziam, o nosso amigo, avançou pelo telhado fora, até chegar a um sitio de onde podia ver o que parecia ser a terra a tocar no céu.

“Meus jovens amigos, aquilo não é a terra a tocar no céu, só parece que sim por causa da forma redonda da Terra e chama-se linha do horizonte.”

“Como sabes tanta coisa? És tao inteligente! Diz-me, porque tens tu tanto medo das alturas?”, perguntou, curioso, o Malhado.

“Nem sempre fui assim, eu gostava de um dia poder voar entre as nuvens e ver a terra lá de cima, assim, enquanto não podia ir para a escola aprender a pilotar aviões, construía papagaios de papel e levava-os para voar no parque perto da minha casa. Um dia um dos papagaios prendeu-se nos ramos de um velho e frondoso carvalho e lá fui eu subir à árvore, como tantas vezes tinha feito. Infelizmente, o temporal que se estava a aproximar, chegou ainda estava eu a libertar o meu papagaio da árvore que teimava em não o largar, a cada puxão que eu dava, parecia que a árvore o agarrava com mais força. Ao fim de algum tempo fiquei cansado e já não restava muita força aos meus braços. Consegui trazer o meu papagaio comigo, mas a meio caminho, uma rajada de vento mais forte fez-me desequilibrar, segurei o meu tesouro com quanta forca tinha e não me sobrou nenhuma para me manter em cima do carvalho e caí. Magoei os joelhos, a cabeça, os braços e o medico que me tratou disse-me que eu tive muita sorte em não ficar mais magoado! Desde aí tenho medo das alturas.”

“Sabes uma coisa? Tens estado este tempo todo em cima do telhado a conversar connosco e não me pareces nem um pouco assustado, nem preocupado com as quedas ou trambolhões!” – observou o Laranjinha

“Pois é amigo policia! Parece que perdeste o medo das alturas!” – afirmou entusiasmado o Malhado

“Afinal vim até aqui para me zangar com vocês e acabei por fazer dois amigos que me ajudaram a resolver um problema. Obrigado!”

Daqui para a frente o Policia nunca mais se preocupou com prédios altos, árvores ou telhados. E esperava sempre fazer um amigo, em cada chamada fora da esquadra. E de policia resmungão, passou a ser conhecido pelo seu sorriso.

Metamorfose

Throwback Thursday

 

Deixe uma Resposta

Preencha os seus detalhes abaixo ou clique num ícone para iniciar sessão:

Logótipo da WordPress.com

Está a comentar usando a sua conta WordPress.com Terminar Sessão / Alterar )

Imagem do Twitter

Está a comentar usando a sua conta Twitter Terminar Sessão / Alterar )

Facebook photo

Está a comentar usando a sua conta Facebook Terminar Sessão / Alterar )

Google+ photo

Está a comentar usando a sua conta Google+ Terminar Sessão / Alterar )

Connecting to %s